ISG Saúde - Instituto Sócrates Guanaes | isgsaude.org 

No HRR, Núcleo de OPME aperfeiçoa controle e padronização de materiais cirúrgicos

20 de NOVEMBRO de 2020

Por Mônica Bockor

Funcionando desde maio deste ano, o Núcleo de OPME (Órteses, Próteses e Materiais Especiais) do Hospital Regional de Registro foi criado com objetivo de melhorar o controle e desenvolver a padronização dos materiais médicos usados nas cirurgias. O setor é responsável por definir - em parceria com os coordenadores de cada especialidade - os produtos que atendam as solicitações médicas, prioritariamente contemplados pela tabela SUS, garantindo a qualidade dos materiais e a segurança do paciente.
“O Núcleo de OPME foi criado para garantir a sustentabilidade financeira e padronizar os materiais utilizados de acordo com a tabela do SUS. Por meio do Núcleo, criamos os protocolos de utilização de materiais médicos, assegurando produtos de excelente qualidade com padrão SUS”, explica a líder do projeto de OPME, enfermeira Pâmela Aline Barbosa Galves. Segundo ela, a equipe também é responsável por fiscalizar se os preços dos materiais utilizados estão de acordo com os valores praticados em contrato e se os produtos são realmente contemplados pelo SUS. 
O Núcleo funciona no Centro Cirúrgico - onde as solicitações médicas são recebidas via sistema e os materiais de cada procedimento são monitorados -, e no almoxarifado, que recebe e cadastra os materiais no sistema, além de fazer o lançamento das notas fiscais. 
Todo o controle de OPMEs descartáveis já é feito via sistema informatizado. A partir de dezembro, deve começar a funcionar no sistema MV o módulo CME (Central de Material e Esterilização), que permitirá o total controle e rastreabilidade das OPMEs implantáveis consignadas na CME (materiais de uso permanente, principalmente da ortopedia). “Nós monitoramos todo o processo de solicitação médica e o uso das OPMEs, com objetivo de promover o controle contínuo da qualidade, a segurança e as boas práticas em favor do paciente e também orientamos o corpo clínico do hospital sobre solicitação, gerenciamento e utilização das OPMEs, sempre com o acompanhamento das diretorias técnica e executiva do HRR”, reforça a enfermeira Pâmela.
Para o diretor executivo do Hospital, Renato Gomes do Espírito Santo, “organizar e reestruturar o Núcleo de OPME é seguir a filosofia do Instituto Sócrates Guanaes (ISG), de obter os melhores resultados com os melhores custos”. “Considerando que as OPMEs impactam de forma significativa nos custos assistenciais, é um setor que demanda uma atenção diferenciada. O sucesso do Núcleo é resultado do excelente trabalho em equipe bem conduzido pela liderança do projeto”, destaca Renato. 
“Implantar o Núcleo de OPME foi muito importante para a Unidade e para o ISG. Ao unificar o processo, hoje há maior controle desde a chegada no hospital até o faturamento e reposição dos materiais. O processo está muito mais dinâmico, ágil e assertivo”, observa a gerente de Suprimentos do ISG, Rebeca Carvalho.
No HRR, as órteses, próteses e materiais especiais são utilizados nas especialidades de hemodinâmica, cirurgia cardiovascular, ortopedia, neurocirurgia, cirurgia geral e bucomaxilofacial.



ÚLTIMAS NOTÍCIAS