ISG Saúde - Instituto Sócrates Guanaes | isgsaude.org 

Especialista dá dicas para melhorar a postura durante o trabalho, sobretudo em home office

20 de OUTUBRO de 2020

Passamos grande parte das nossas vidas sentados, seja em salas de aula ou escritórios de trabalho. Com o avanço da pandemia da COVID-19, também passou a fazer parte da rotina de muitas pessoas o trabalho em regime de home office, quando um escritório caseiro é adaptado para o desenvolvimento das atividades profissionais. Em alguns casos, no entanto, os escritórios caseiros não dispõem de uma adaptação ergonômica adequada, o que, segundo o coordenador da Ortopedia dos hospitais regionais de Registro e de São José dos Campos, Dr. Leandro Gregorut, pode causar danos à saúde.

É comum as pessoas trabalharem em casa utilizando a mesa de jantar, o sofá ou até mesmo a cama, com o notebook apoiado sobre as pernas, por exemplo. O especialista explica que são posições não ergonômicas que podem sobrecarregar as estruturas ósseas, ligamentos e músculos, causando dores, sobretudo na coluna cervical e na região lombar. Problemas que, quando agravados, podem causar alterações na coluna, como escoliose, hérnias de disco e hipercifose. Por isso, devemos estar alertas aos sinais de que algo vai errado com a postura: ombros encurvados, dores frequentes na cabeça e no pescoço, dores lombares ao sentar e ao levantar e formigamento nos pés ou nas mãos. Para reduzir riscos e aumentar a qualidade de vida durante o período de home office, a recomendação do médico é fazer alongamentos periódicos. ‘Se você gastar 15 minutos do seu dia para se alongar, esta atividade vai ajudar a trabalhar as fibras do corpo, evitando contraturas’, explica o ortopedista, que orienta também pequenos ajustes no ambiente de trabalho, com o objetivo de melhorar a postura:

1) Utilizar suporte para apoio do notebook ou elevar o monitor para que a cabeça não fique inclinada para baixo. O ideal é manter a tela na altura dos olhos para que a cabeça fique reta e a pessoa não precise forçar a musculatura do pescoço.

2) Caso não seja possível utilizar uma cadeira ergonômica em casa, deve-se adaptar um travesseiro de espuma consistente apoiado nas costas.

3) Fazer pausas frequentes para ativar a circulação, alongando as pernas e a coluna.

4) Utilizar um apoio para o antebraço, evitando que ele fique abaixo da altura ideal ou que a pessoa tenha que mantê-lo suspenso.

5) Investir em um suporte para os pés, sobretudo quando a altura da cadeira não é adequada, evitando forçar os joelhos e prejudicar a circulação sanguínea.

Além do alongamento diário, Dr. Leandro Gregorut recomenda a prática de exercícios físicos, fundamental para melhorar o condicionamento e promover o bem-estar. Em tempos de pandemia, pode ser uma caminhada de 30 a 45 minutos quatro vezes na semana. A atividade física de média intensidade pode liberar até 18 tipos de hormônios no corpo, responsáveis pela felicidade, prazer e bem-estar. Além disso, os treinos contribuem para manter a saúde, evitar doenças e reduzir a pressão arterial. 




ÚLTIMAS NOTÍCIAS