ISG Saúde - Instituto Sócrates Guanaes | isgsaude.org 

100% sustentável, HRLN em breve contará com automação predial e terraço verde

28 de MAIO de 2020

Por Thaís Almeida

Usar a tecnologia a favor do meio ambiente e do conforto dos pacientes e colaboradores, esse foi o objetivo de todo o projeto desenvolvido para a construção e uso diário da estrutura do Hospital Regional do Litoral Norte, gerenciado pelo ISG.

Certificado com o selo AQUA (Alta Qualidade Ambiental) da Fundação Vanzolini no pré-projeto, projeto e execução, o prédio do HRLN vem desde março, quando iniciou suas atividades, funcionando em um sistema sustentável.

“O Hospital foi pensado para utilizar os recursos naturais da região e oferecer o melhor para os pacientes. Fizemos replantio de espécies nativas, com paisagismo humanizado, temos vidros em locais estratégicos para aproveitar a luz natural, utilizamos placas solares para aquecer a água, as torneiras possuem temporizadores, o sistema elétrico evita desperdício e perda de energia e nossas fachadas ainda são ventiladas, ou seja, temos um vão entre as paredes em contato com o ambiente externo e aquelas que isolam os espaços internos. O sistema de fachada ventilada que usamos é o de brises móveis (um dispositivo arquitetônico que funciona como uma persiana), que permite a entrada da luz e a pessoa consegue visualizar a praia e as paisagens no geral, de forma segura e humanizada. Com os brises móveis podemos aumentar ou diminuir a entrada de luz”, explicou Bianca Chagas, engenheira civil e Coordenadora de Manutenção do HRLN.

Além disso, o HRLN possui ainda 6 caixas de retenção da água da chuva, enterradas no terreno. A água coletada é filtrada, tratada e usada para reuso em descargas e também na reserva de incêndio, gerando uma economia de 159 metros cúbicos de água diariamente – em tempos de abastecimento regular de chuva.

Para completar essa infraestrutura, que já impressiona, o Hospital contará a partir de junho com automação predial – um sistema inteligente que controlará as principais funções executadas pela construção. “Funciona como uma casa inteligente, no caso um prédio inteligente, assim teremos uma central que poderá, por exemplo, desligar as luzes de determinado ambiente automaticamente ou reduzir o ar-condicionado de uma área, sem precisar ir até o local”, comentou.

Concluindo a construção de um hospital sustentável, futuramente será instalado um terraço verde na cobertura da área de Emergência, o que deixará a temperatura dentro do prédio melhor e possibilitará aos usuários dos demais andares visualizar uma paisagem em contato direto com a natureza. “Hoje, há estudos que comprovam que a promoção de um ambiente agradável ajuda efetivamente na melhora do paciente, e tudo aqui foi planejado para isso”, finalizou Bianca.




ÚLTIMAS NOTÍCIAS