ISG Saúde - Instituto Sócrates Guanaes | isgsaude.org 

ISG terá base de dados única para gestão assistencial

31 de JANEIRO de 2020

Até o final do primeiro semestre deste ano o ISG passará a ter todas as informações de gestão assistencial centralizadas e acessíveis online. Segundo o Gerente de TI, Vilson Ribeiro, a centralização dos sistemas, que hoje é individualizada, vai trazer inúmeras melhorias, como análise dos dados produzidos pelas unidades que poderão ser feitas a qualquer momento, de qualquer lugar, para tomadas de decisão e gestão.

Uma vantagem do novo projeto de TI é que os dados dos pacientes das unidades geridas ficarão registrados em todas as demais unidades. "Se um paciente do hospital de Registro, por exemplo, precisar ser atendido no AME de São José dos Campos, a ficha dele já estará pronta com todos os dados, agilizando o atendimento", garante Vilson. Outra vantagem que merece destaque é o acesso de qualquer local ao sistema pelo médico que tem a permissão, facilitando decisões até à distância.

Para a criação da base centralizada, o ISG está implementando a versão web do Sistema MV em todas as unidades geridas. A estimativa é que a primeira fase do processo esteja pronta até o final de março, com a migração dos dados das unidades de São Paulo para esta nova versão do MV. Atualmente, estas unidades utilizam um sistema similar, o IGH.  O Hospital Regional de Registro (HRR) será a primeira Unidade a substituir o IGH. A mudança do sistema de gestão ocorre no sábado, 15/02, às 18 horas.  O HRR conta com um plano contingência, no caso de ocorrer algum problema, e os colaboradores que realizaram treinamento estão preparados para auxiliar os colegas que tiverem dúvidas ou dificuldades. 

A segunda fase, prevista para junho, é a atualização do sistema MV nas unidades do Rio e Goiás. "Estamos criando uma grande base de dados que vai favorecer a todos: médicos, pacientes e à gestão do ISG, além de atender critérios da Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD). As unidades permanecem sendo individualizadas, mas a base de dados passara a ser única", finaliza Vilson.




ÚLTIMAS NOTÍCIAS