ISG Saúde - Instituto Sócrates Guanaes | isgsaude.orge 

HEAL e HDT ficam entre os primeiros hospitais públicos do país na redução de índices de infecção hospitalar

30 de AGOSTO de 2019


Por Olenka Lasevitch e Igor Guimarães

No mês de agosto completaram-se os primeiros 18 meses da criação do programa Proadi-SUS, do Ministério da Saúde, com a participação de 120 hospitais públicos de 25 estados. O programa visa a redução dos níveis de infecção hospitalar em CTI, que é a quarta maior causa de morte no mundo, segundo dados da OMS.

 

O ISG faz parte do projeto por meio do Hospital Estadual Azevedo Lima, em Niterói, e do Hospital de Doenças Tropicais, em Goiânia. O programa será encerrado em outubro de 2020, com a meta de redução de 50% na média de infecção dos hospitais participantes. A meta parcial, no entanto, referente aos 18 primeiros meses, foi ultrapassada chegando a uma média de 33,4%, quando o previsto era de 30%.

 

O Azevedo Lima ficou bem acima, com 67,46% de redução nas taxas de infecção de corrente sanguínea, 49,16% nas infecções relacionadas à sonda vesical e 48,75% nas taxas de pneumonia associada à ventilação mecânica em CTI. Segundo o Coordenador Médico da UTI do Azevedo Lima, Dr. Felipe Ribeiro, “o hospital chegou a níveis que o tornam referência para outros hospitais públicos do país”. Para a Infectologista do CCIH, Dra. Thais Vieira, “além das reduções e dos ganhos para os pacientes, que foram fundamentais, a participação no projeto tem sido uma motivação a mais para toda a equipe”.

 

Já o HDT conseguiu reduzir em mais de mais de 50% a incidência de pneumonia relacionada à ventilação mecânica As taxas de infecção primária de corrente sanguínea e infecção relacionada a cateter de demora foram zeradas desde setembro de 2018. A coordenadora da Unidade de Terapia Intensiva, Patrícia Lisboa, reforçou a relevância do projeto para o combate às infecções: “o projeto tem duração de três anos e na metade do tempo o HDT já conseguiu zerar, em alguns casos, os níveis de infecção após aderir à proposta”. 

 

Durante o evento promovido pelo Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo, para anúncio dos números nos primeiros 18 meses, foram apresentados estudos demonstrando que a redução obtida até agora nos 120 hospitais pode significar mais de 2.800 infecções evitadas e 978 vidas salvas, além de uma economia de R$ 149 milhões para os hospitais públicos. Significa, também, que o paciente permanece menos tempo internado e o hospital pode oferecer leitos para a população com maior frequência. Em outras palavras: melhoria na assistência, redução na mortalidade e economia de recursos para o estado.

O Proadi-SUS conta com a tutela de cinco hospitais de referência em qualidade assistencial no Brasil: Sírio Libanês, Albert Einstein, Hospital Alemão Oswaldo Cruz, Hospital do Coração e Moinhos de Vento.




ÚLTIMAS NOTÍCIAS