ISG Saúde - Instituto Sócrates Guanaes | isgsaude.orge 

Na contramão do desemprego no país, mais de 2 mil colaboradores ingressam no ISG

06 de JUNHO de 2019

Por Verônica Richardelli


Número de contratações é alavancado pela expansão do Instituto para São Paulo, a partir de julho de 2017

Estamos na metade de 2019 e, para muitos brasileiros, o anseio por uma recolocação no mercado de trabalho ainda não se concretizou. Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 13,2 milhões de pessoas em idade de trabalhar estão desempregadas no país. O índice de abertura de novas vagas formais, com carteira assinada, subiu 1,5% no primeiro trimestre do ano em relação ao mesmo período de 2018, primeira alta após 16 trimestres de queda*. Na contramão desta realidade, o Instituto Sócrates Guanaes (ISG) vem aumentando as contratações. Os números impressionam. De 2018 até o momento, mais de 2 mil colaboradores ingressaram no quadro de pessoal das sete unidades gerenciadas pela organização social e nos escritórios do ISG, número alavancado pela expansão do Instituto para São Paulo, a partir de julho de 2017. A crescente abertura de vagas e a grande quantidade de candidatos que comparecem a cada processo seletivo exigem das equipes de Gestão de Pessoas uma logística bastante desafiadora e uma atuação transparente e criteriosa.

 

Apenas nas quatro unidades administradas pelo ISG em parceria com a Secretaria de Estado de Saúde de São Paulo –  Hospitais Regionais de São José dos Campos, Registro e Itanhaém e Ambulatório Médico de Especialidades, também em São José dos Campos –, em 2018 foram contratados 1.236 novos colaboradores. Este ano, até o momento, já foram 332. O Hospital Regional de Registro, no Vale do Ribeira, ainda está em fase de ampliação gradativa de oferta de atendimentos e a previsão é a abertura de, em média, mais 87 vagas para completar o quadro. Segundo a gerente corporativa de Gestão de Pessoas do ISG, Alexandra Nascimento, num modelo de atuação como o de uma Organização Social de Saúde (OSS), o trabalho de recrutamento e seleção é especialmente desafiador. Isto porque quando a Organização Social assume a gestão de uma nova unidade, muitas vagas são abertas ao mesmo tempo, o que exige grande envolvimento de um comprometido time de RH, treinado para a condução dos processos, montagem de toda infraestrutura e logística para seleção em curtos prazos. “Em cada uma das nossas seleções, vivenciamos uma verdadeira mobilização das cidades no entorno das unidades, movimentando o capital humano da região e gerando oportunidade de trabalho para os moradores. Outro grande desafio é a seleção de profissionais qualificados para promover ‘saúde digna e eficiente para a população’, uma das filosofias do ISG”, explica a gerente. O mais recente processo seletivo realizado no Hospital Estadual Azevedo Lima, unidade administrada pelo ISG no Rio de Janeiro, atraiu mais de 2.7 mil candidatos.


Processo seletivo no Hospital Estadual Azevedo Lima, em Niterói (RJ) atraiu mais de 2.7 mil candidatos entre os dias 6 e 10 de maio. 


Ao contrário do que se possa pensar, uma OSS e as estruturas hospitalares que ela administra não contratam apenas profissionais de saúde para as chamadas ‘atividades fim’. Para que toda a engrenagem funcione, são abertas vagas para os mais variados cargos. “Precisamos de profissionais para áreas  administrativas e operacionais, como RH, Financeiro, TI, Contratos, Hotelaria, Engenharia, Recepção, Almoxarifado e tantas outras, que promovem o apoio para o sucesso da assistência direta ao paciente”, lembra Alexandra. Segundo o setor de Gestão de Pessoas, nas unidades do ISG o número de colaboradores nestas áreas equivale a um percentual de, em média, 20% a 25% do quadro total.  

 

Com a responsabilidade de gerenciar estes processos seletivos de grande porte, Alexandra destaca a seriedade do Instituto na condução das ações: “Temos como base e princípio nosso Regulamento de Seleção, norteador e diretivo. Buscamos em nossas ações preservar os princípios de impessoalidade, moralidade, boa-fé, economicidade, eficiência, isonomia, e julgamento objetivo, bem como a transparência nos resultados”.  


*Fonte: https://economia.uol.com.br/empregos-e-carreiras/noticias/redacao/2019/05/31/desemprego-pnad-continua-ibge.htm




ÚLTIMAS NOTÍCIAS