Heal zera casos de pacientes “em vulnerabilidade social” com atuação humanizada e eficiente

21 de FEVEREIRO de 2019

Dona Conceição (nome fictício) deu entrada no Hospital Estadual Azevedo Lima (Heal), em Niterói, com fratura de fêmur. Ela é idosa e antes da internação costumava realizar suas atividades da vida diária sozinha, com autonomia. A partir do momento da alta, no entanto, sua vida mudou. Precisaria de cuidados especiais, não tinha nenhum responsável que pudesse conduzi-la nem para onde ir. Dona Conceição faz parte de um universo de pacientes que chegam aos hospitais por motivos clínicos, mas que, no decorrer da internação, apresentam demandas de ordem social ou econômica. Apesar da alta, estes pacientes não podem deixar a unidade abandonados à própria sorte. Ao longo do ano de 2018, o Azevedo Lima recebeu 19 pacientes nesta situação. São os chamados “casos sociais”. Neste mês de fevereiro, um trabalho intenso do Serviço Social - aliado a uma atuação sempre humanizada - possibilitou que todos os pacientes nesta situação fossem assistidos, encaminhados para unidades de acolhimento institucional ou promovidos à reinserção familiar, zerando momentaneamente os “casos sociais” no Azevedo Lima.

 

A responsável técnica do Serviço Social, Cleide Cruz, esclarece que os pacientes chamados "casos sociais" chegam ao hospital para atendimento pela Emergência ou Admissão da Maternidade e apresentam questões sociais que demandam orientações, acompanhamentos e encaminhamentos. Nestes casos, o Serviço Social está presente desde a sua entrada até a alta hospitalar. “Estamos prontos para acolher as demandas, orientar, ofertar, viabilizar o acesso à rede socioassistencial e ao sistema de garantia de direitos”, informa Cleide.

 

O atendimento humanizado é um dos valores do Instituto Sócrates Guanaes, gestor do Hospital. O acompanhamento dos casos sociais de forma humanizada faz parte das atribuições do Serviço Social do Azevedo Lima, que conta com 13 profissionais em atividade permanente, atuando 24 horas todos os dias. "A participação do Serviço Social visa o apoio aos pacientes e familiares, prestando atendimento, orientações e interconsulta com a equipe multiprofissional, garantindo medidas de proteção integral", finaliza Cleide, lembrando as palavras da escritora, Marilda Iamamoto: "O momento que vivemos é um momento pleno de desafios. Mais do que nunca, é preciso... alimentar os sonhos e concretizá-los dia a dia no horizonte de novos tempos, mais humanos, mais justos, mais solidários". 




ÚLTIMAS NOTÍCIAS